A Guarda Civil espanhola prendeu no aeroporto de San Pablo um soldado que faz parte da escolta do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro. O preso é um sargento do Exército Brasileiro que levou 39 quilos de cocaína em uma mala. O avião fazia parte da comitiva presidencial, que parou em Sevilha antes de ir a uma viagem oficial ao Japão

O militar detido foi acusado de um crime contra a saúde pública e está à espera de ser levado a tribunal nesta quarta-feira.

O aeroporto de San Pablo tem sido palco nos últimos anos de múltiplas intervenções de cocaína em vôos do Brasil. A Polícia Nacional e a Guarda Civil descobriram que havia uma rota de tráfico de drogas por meio de vôos que partiam de pequenos aeroportos no Brasil e chegaram a Sevilha depois de pararem em Lisboa.

Caso anterior

Não é a primeira vez que um membro da FAB é acusado de usar a condição de militar para o tráfico de drogas na Espanha, segundo o jornal espanhol El País.

Em abril, o Superior Tribunal Militar (STM) brasileiro determinou a expulsão de um tenente-coronel que transportava 33 quilos de cocaína em um avião da FAB, um Hércules C-130, durante uma escala em Palmas de Gran Canaria.

Outros dois militares julgados no mesmo caso já haviam sido expulsos da corporação.

O crime ocorreu em 1999, e o comandante foi condenado a 16 anos de prisão por pertencer a uma rede de tráfico internacional de cocaína usando aviões da FAB.

Fonte: Diário de Servilha / Confirmações BBC Brasil