Ex-presidente seguirá para a cerimônia em um trajeto que será mantido em sigilo
A juíza Carolina Lebbos autorizou na tarde desta sexta-feira 1 que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba, compareça ao velório do seu neto. Arthur, de apenas sete anos, faleceu nesta manhã, vítima de meningite.
Segundo a Lei de Execução Penal, em seu artigo 120, todo preso tem direito de sair da cadeia, desde que escoltado, para comparecer ao velório de cônjuge, irmãos, ascendente ou descendente. Como neto se classifica como descendente, a justiça concedeu esse direito a Lula.

➤ Leia também: “Lei garante que Lula compareça ao velório de seu neto”, diz juiz

➤ Leia também: Neto de Lula morre aos 7 anos vítima de meningite

O velório acontecerá no sábado 2, em São Bernardo. A família preferiu esperar um dia a mais para que o ex-presidente consiga chegar a tempo da cerimônia. Lula vai em uma aeronave do governo do Paraná, cedida a pedido da Polícia Federal, pelo governador Ratinho Júnior (PSD).

Será a segunda vez que o ex-presidente deixará a prisão. Desde março de 2018, quando foi preso, Lula só havia deixado o cárcere em novembro para prestar depoimento à juíza Gabriela Hardt. Nem quando seu irmão faleceu lhe foi concedido esse direito.

Na época, a juíza responsável pela execução da pena de Lula, a mesma Carolina Lebbos, seguiu manifestações da Polícia Federal e do Ministério Público que afirmavam não haver tempo hábil para que a logística de transporte do ex-presidente e o proibiu de comparecer à cerimônia.

POR ALEXANDRE PUTTI / CARTA CAPITAL