O Ministério da Educação (MEC) enviou a escolas do país uma carta do ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, com um pedido de cumprimento voluntário para que fosse lida no primeiro dia letivo deste ano. No texto, além de uma saudação à educação responsável e de qualidade, consta o slogan usado por Jair Bolsonaro em sua campanha: “Brasil acima de tudo. Deus acima de todos”.

No e-mail em que a carta do MEC foi enviada, pede-se ainda que, após a sua leitura, professores, alunos e demais funcionários da escola fiquem perfilados diante da bandeira do Brasil, se houver na unidade de ensino, e que seja executado o hino nacional.

“Brasileiros! Vamos saudar o Brasil dos novos tempos e celebrar a educação responsável e de qualidade a ser desenvolvida na nossa escola pelos professores, em benefício de vocês, alunos, que constituem a nova geração. Brasil acima de tudo. Deus acima de todos!”, diz a carta a ser lida para os alunos no primeiro dia de aula.

O ministro ainda pede que os diretores solicitem que funcionários das escolas filmem os alunos cantando o hino nacional e enviem ao Ministério da educação. O objetivo, segundo o e-mail, é incentivar a valorização de símbolos nacionais.

A carta gerou repercussão na Câmara. O deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) gravou um vídeo informando que vai denunciar Vélez Rodríguez pelo crime de responsabilidade. Segundo o parlamentar, é inadmissível que um slogan usado por Bolsonaro seja lido por diretores em escolas.

“Estamos denunciando o ministro da Educação, Ricardo Velez, por crime de responsabilidade. Ele orientou diretores de escolas a lerem na volta às aulas carta do ministério com a mensagem “Brasil acima de tu Deus acima de todos”, slogan de Bolsonaro. Isso é inadmissível!”, escreveu o parlamentar em seu Twitter.

Em resposta, o MEC informa que a o e-mail enviado com a carta aos diretores deixa claro que se trata de um “cumprimento voluntário”, não obrigando a leitura, bem como a filmagem.

Fonte: iG