Estão acontecendo atrasos na distribuição dos tratamentos para hepatite C com os medicamentos sofosbuvir, daclatasvir e ribavirina. Era previsível que isso poderia vir a acontecer, pois ao se depender de três fornecedores diferentes com a falta de um dos medicamentos não permite a entrega completa dos tratamentos.

Em 16 de julho de 2018 o grupo de associações de pacientes da “AIGA – Aliança Independente dos Grupos de Apoio”, alertava publicamente, com cópia ao então ministro da saúde, sobre o “Retrocesso no Plano de Eliminação da Hepatite C” publicado em

Denunciávamos que um Petit Comitê teria decidido, a portas fechadas, e naturalmente sem a participação do controle social, que os quatro novos medicamentos já aprovados pela Anvisa não serão incorporados ao Protocolo de tratamento da hepatite C e em seu lugar, deverá se conceder aos pacientes apenas uma alternativa ao tratamento, a combinação sofosbuvir / daclatasvir.

A seguir colocávamos que era negativa tal logística de aquisição e entrega por parte de fornecedores diferentes, pois, seria necessária uma coordenação específica e poderia causar problemas na entrega aos pacientes.

Resultado, agora, em fevereiro de 2019 e após manobras difíceis de explicar e após pagar em novembro o absurdo preço de 2.505.- dólares por tratamento de 12 semanas com um sofosbuvir genérico e daclatasvir, o problema alertado em julho veio se confirmar e a entrega dos tratamentos está prejudicada.

E como sempre, são os pacientes os prejudicados que estão aguardando tratamento há meses.

Será que os responsáveis de então, afortunadamente já expulsos do ministério da saúde, serão penalizados?

Maviret passa a ser indicado para transplantados

O medicamento Maviret (glecaprevir + pibrentasvir), na forma farmacêutica comprimido revestido, passa ser indicado para pacientes que tenham infecção crônica pelo vírus da hepatite C e que tenham recebido transplante de fígado ou de rim. Esta ampliação de indicação terapêutica, aprovada pela Anvisa, está publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira (18/2).

Novo remédio para tratamento de crianças com hepatite C tem taxa de cura de até 99%

O Harvoni (sofosbuvir + ledipasvir), antes aprovado apenas para pacientes adultos, foi liberado neste mês pela Anvisa para o tratamento também em crianças a partir de 12 anos de idade ou com mais de 35 quilos.

A grande vantagem desse tratamento é a eficácia e facilidade. A criança precisa tomar apenas um comprimido por dia durante doze semanas para ter um resultado positivo.

BAIXE GRÁTIS O LIVRO: A CURA DA HEPATITE C

Por: Carlos Varaldo / Grupo Otimismo / www.hepato.com

Quantos tiveram a doença piorada nesse período? Quantos morreram pela falta dos medicamentos? Quantos estão deprimidos pela insegurança que a situação Trouce? Na página do grupo Otimismo de Apoio ao Portador de Hepatite os relatos são mais diversos e nos dão a dimensão do drama enfrentado pelos doentes.