A Polícia Federal informou que, diferentemente do havia afirmado o ministro da Justiça, Sérgio Moro, os diálogos apreendidos com os suspeitos de hackear telefones, presos na Operação Spoofing, serão preservados e enviados à Justiça, que decidirá o destino do material.

Procurado pelo Correio para comentar a afirmação de Moro, sobre a intenção de destruir o material, o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou que tal decisão não poderia ser tomada pelo governo federal ou a Polícia Federal.

Procurado pelo Correio Brasiliense para comentar a afirmação de Moro, sobre a intenção de destruir o material, o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou que tal decisão não poderia ser tomada pelo governo federal ou a Polícia Federal.

Leia a nota da PF:

A Polícia Federal esclarece que as investigações que culminaram com a deflagração da Operação Spoofing não têm como objeto a análise das mensagens supostamente subtraídas de celulares invadidos.

O conteúdo de quaisquer mensagens que venham a ser localizadas no material apreendido será preservado, pois faz parte de diálogos privados, obtidos por meio ilegal.

Caberá à justiça, em momento oportuno, definir o destino do material, sendo a destruição uma das opções.”

Com informações: Correio Brasiliense