Ben Harper joga para a sua torcida
Espetáculo congestionou os acessos ao Norte da Ilha no sábado
DORVA REZENDE
 

Com o número 10 da camisa da Seleção Brasileira às costas, Ben Harper jogou para a torcida e, com naturalidade e competência, produziu o que muitas vezes os ronaldinhos da vida se esquecem de fazer: a felicidade da platéia.

Sim, porque o público que foi assisti-lo na madrugada de sábado para domingo, numa badalada casa de espetáculos no Norte da Ilha de Santa Catarina, merecia mesmo ser muito bem tratado. Isso porque, para a maioria, foi extremamente difícil chegar até lá, tal a quantidade de carros parados nos engarrafamentos que tomaram conta das principais vias de acesso da região. Sorte teve quem foi cedo para lá, pelo menos umas cinco horas antes de Harper entrar no palco, pouco depois da 1h da manhã.

Donavon Frankenreiter, o guitarrista bigodudo da Califórnia, já havia deixado a platéia em ponto de bala, com seu rock zen-surfista estilo Jack Johnson e os hits que já havia apresentado há dois anos, na Lagoa, como Free e It Don't Matter. Era apenas o indicativo do que estava por vir.

Ben Harper abriu seu show, sentado numa poltrona e tocando no colo o velho violão Weissenborn, com dois hits do disco que o tornou conhecido mundialmente, Ground on Down e Gold to Me, do álbum Fight for Your Mind, de 1995. Depois de apresentar seus parceiros da banda The Innocent Criminals (o gordão baixista Juan Nelson, o percussionista Leon Mobley, o tecladista Jason Yates, o soberbo baterista Oliver Charles e o guitarrista Michael Ward), ele atacou com uma longa versão cheia de improvisos de Serve Your Soul, do álbum duplo mais recente, Both Sides of the Gun.

Depois vieram mais hits para alegrar a galera, como Burn to Shine, With My Own Two Hands, Forgiven, Steal My Kisses e a enfumaçada Burn One Down, ocasião em que boa parte da platéia resolveu fazer o mesmo que a letra sugeria. Os momentos mais calmos do show foram com a melancólica e belíssima Morning Yearning e, no primeiro bis, só com Harper e o violão com as baladas Another Lonely Day e Walk Away.

No segundo bis, Harper voltou com a banda para tocar a canção dos enamorados, Sexual Healing, de Marvin Gaye, e chamou para ficar junto da banda os sortudos que acompanharam o show do palco (Guga Kuerten e a namorada Letícia, entre eles). Donavon retornou para tocar e cantar com ele a magistral Diamonds on the Inside.

Importante influência na música de Bem, o reggae e seus mentores foram devidamente homenageados com Get Up, Stand Up, da dupla Bob Marley e Peter Tosh. No final, uma longa e batucada interpretação de Better Way, com Harper se esforçando para incutir na rapaziada (alguns nem tanto assim) a possibilidade de dias melhores.

Homem de poucas palavras, antes de deixar o palco, fez questão de dizer que estava feliz por tocar no Brasil.

- Em todos os lugares que fizemos shows nesta turnê, como na Austrália, Nova Zelândia e Escandinávia, sempre havia no meio do público uma bandeira no Brasil. Obrigado por sua música, estamos muito felizes de poder tocar aqui.

Nós é que agradecemos, senhor Harper, nós é que agradecemos.

 

Sites sobre músicas
São 50 endereços de sites (oficiais ou não) na Rede de vários estilos musicais.

Os 20 anos do
Rock In Rio I

ROGER WATERS
Cantor, guitarrista e baixista do Pink Floyd.
Letras de músicas cifradas
Agora você não precisa mais comprar revistas com músicas cifradas para tocar violão ou órgão é só entrar neste site.
MP3
 Ao alcance de todos? 
Clique aqui
FOTOS DO SHOW

 
 
 



Banda de Criciúma, formada a quase um ano, vem fazendo vários shows na região sul de Santa Catarina, Possui suas musicas próprias que trazem letras com emoção, amor sofrido e etc.

Filipe - Voz
Bruno - Guitarra
Jefferson - Bateria
Ricardo - Guitarra
Biel - Baixo
MP3 AQUI!

BIOGRAFIAS

BOB DYLAN

DAVID GILMOUR

BOB MARLEY

ERIC CLAPTON

GILBERTO GIL

PINK FLOYD

MORISSETE

ELIS REGINA



O mais completo site de rock!
O melhor conteúdo, atualizado diariamente!


BUSCA MÚSICA DE KARAOKÊ
música ou artista

 

 


Site: SUL-SC ONLINE