HISTÓRICO
clique para voltar
SUL DE SANTA CATARINA - BRASIL

      O território onde se localiza o Município de Sombrio, teve como primeiros habitantes, os índios Carijós. O começo da colonização foi marcado pela compra da Sesmaria Rodrigues, por Manuel Rodrigues e Luciano Rodrigues da Silva. A extensão de terras era de 342km2, com frente no litoral, desde o Mampituba até o Arroio Grande, e com três léguas de fundo (18km).  Assim como outras Sesmarias, a Sesmaria Rodrigues foi aos poucos se subdividindo através da venda ou por herança.  Em Sombrio iniciou-se, então, um regime de pequenas propriedades.
      Em 1833 as terras da vila de Sombrio e arredores foram compradas do Estado por João José Guimarães, português, que migrou do Município de São José do Norte (RS). No total eram 1.130 metros de frente e 3.000 metros de fundos,a desde o litoral até o travessão geral.  Nas terras onde hoje se localiza o distrito da sede do Município de Sombrio, junto com sua família e seus escravos, João José Guimarães, iniciou o cultivo de cana-de-açúcar, pioneiro na instalação de um engenho de açúcar, com alambique, e criou também o primeiro engenho de farinha de mandioca.
      A formação étnica da população sombriense foi composta na sua grande maioria por portugueses, açoriana e italiana. Assim, com o passar dos anos o território de Sombrio, foi sendo ocupado lentamente.  
Mais tarde na década de 1860, imigraram novas famílias do RS que instalaram suas residências às margens do rio Passo da Lage.  Esse agrupamento de casas chamava-se Passo do Sertão.  
      Em 1900 a população indígena apesar de ter afastado dos centros urbanos, ainda ocupavam grandes faixas de terras Alguns fixaram residência, mas nunca foram possuidores legais da terra.  Parte dos indígenas recuou para as terras devolutas da Serra Geral outra se integrou ao elemento português.  
      Em 1921 a concessão de terras do Estado, ao senhor Luiz Bratti, no Tenente marca o início da colonização ítalo-brasileira no Tenente, Peroba, Vista Alegre, Garuva e partes de Jacinto Machado, Meleiro e Turvo. Com o desenvolvimento desta região, a 2 de janeiro de 1914, através da Lei n.º 141 dos Municípios, o Povoado de Sombrio era elevado a categoria de Sede, desmembrando-se do Distrito de Passo do Sertão, pertencente ao Município de Araranguá. 
      Em 1933, o Decreto-Lei Estadual n.º 86 de 31 de março elevou Sombrio e Passo do Sertão à categoria de Vila. 
      A emancipação do Município de Sombrio ocorreu no dia 30 de dezembro de 1953, quando a Assembléia Legislativa do Estado, através da Lei n.º 153, desmembra Passo do Sertão e Sombrio de Araranguá. Assim a Vila de Sombrio passou a categoria de Cidade. Em 19 de fevereiro de 1965, Sombrio foi elevada a Sede de Comarca pela Lei Estadual n.º 3787. A comarca foi instalada em 01 de março de 1966. Localizada no Extremo Sul Catarinense, o Município de Sombrio, faz parte do ecossistema hidrográfico do Rio Mampituba , do qual fazem parte rios e lagoas, destacando-se de Sombrio, uma das maiores lagoas de Santa Catarina. As principais culturas são de fumo, arroz, mandioca, banana, feijão e milho, com algumas cabeças de gado para corte e ordenha. 
      A maior festa do Município é a do padroeiro, Santo Antônio, e o ArraialFest, com o objetivo do resgate cultural açoriano, festa com muita animação, comida típica e desfile de carros alegóricos.

[FOTOS DO MUNICÍPIO ] [INFRAESTRUTURA TURÍSTICA ]
[ECOTURISMO DE SOMBRIO ] [MAPA DO MUNICÍPIO ]
[O RESGATE DO FUTEBOL AMADOR NO MUNICIPIO]
[CÂMARA DE VEREADORES]