Cultivando raízes VOLTAR 
 
RICARDO ALVES
macuco@nyx.com.br

Com todos os problemas enfrentado pela humanidade nesse final de milênio, tentamos buscar, mesmo de forma indireta, as respostas para os questionamentos da vida. Conhecendo sua origem, o indivíduo passa a ter a base para compreender a história de seu povo e também a sua.

Seguindo a tendência de alguns setores, o direcionamento desta ‘busca’ dos valores culturais partiu para os municípios, possibilitando o resgate mais direto das influências culturais no local. Assim, direciono o tema para o colonizadores do litoral de Santa Catarina, estado caracterizado pelas fortes manifestações culturais dos povos europeus que aqui fizeram história.

Os açorianos chegaram em Santa Catarina há 251 anos, espalhando-se pelo litoral. Apesar das de todas mudanças nesse tempo, o grande legado cultural que os habitantes do arquipélago dos Açores deixaram pra nós foi mantido. E sem alterações. Legado manifestado através da dança, música, gastronomia, roupas, tecelagem, arquitetura, contos populares e brincadeiras infantis. Mesmo sem nos dar conta, a influência açoriana está em todos lugares: naquela casa antiga, no peixe frito com pirão, nos tapetes e trilhos de nossas casas...Finalmente, as pessoas ligadas à cultura e alguns órgãos do governo abriram os olhos e estão resgatando de forma simples e barata a nossa história. Aqui, o primeiro passo dado nesse sentido foi a respeito do Arraialfest, festa realizada desde 93 no município. A comemoração, agora realizada de dois em dois anos, tomou sentido nas duas últimas edições como uma festa de resgate da cultura açoriana em Sombrio, dando o pontapé inicial para outros feitos, como o museu ao ar livre(engenho) no centro da cidade e o livro sobre a história de Sombrio. A obra está sendo escrita pelo Professor Vilson Farias, diretor do NEA(núcleo de estudos açorianos) da Universidade Federal de Santa Catarina, que colheu dados do município para somar aos sombrienses. Esses trabalhos foram reconhecidos na sexta edição do Açor, a festa estadual da cultura açoriana realizada no município de Porto Belo nos dias 16 e 17 de julho. O município, representado pelo Prefeito Municipal Podinho, fez jus ao troféu de açoraniedade recebendo dezenove dos vinte votos.

Além dos legados materiais, os açorianos deixaram na sua simplicidade um exemplo a ser seguido. A valorização das pequenas coisas como fonte pra tanta alegria. Com eles, podemos aprender que a felicidade só é alcançada por aqueles que tem o espírito alegre, longe de sentimentos pequenos, que celebram a vida e seu semelhante. Ensinamentos importantes nos dias conturbados de hoje. Feliz aquele que saber tirar disso algo para si.


Valorizando nossa terra - A História do Surf na Gaivota


Site: A Folha Online
ttp://www.sul-sc.com.br/afolha" TARGET="_top">A Folha Online
ml>