HISTÓRICO

O primeiro habitante do Município de Jaguaruna foi o Coronel Luiz Francisco Pereira que em 1867, para lá se dirigiu com sua família, a fim de receber a concessão de sesmaria como o primeiro habitante da região, uma vez que as terras do Município de Palhoça, de onde procedia, eram pouco férteis. A fertilidade da terra continuou atrindo novos moradores e chegaram, em seguida, Joaquim Marques, Francisco Rabelo e Manoel Marques.

A exuberância das terras fez com que os moradores a deniminassem de Campo Bom.

O nome da Cidade provém do Tupi-Guarani: "Yaguara - onça" e "Una - preta", daí o nome de Jaguaruna.

Em 1880, Jaguaruna foi elevada à categoria de freguesia e em 1883, foi extinta para, um ano mais tarde, voltar novamente àquela categoria. porém, com parte do seu território desmembrado e integrado ao de Tubarão.
Jaguaruna foi elevada a categoria de Município em 1930.

Economia:

O território de Sangão pertenceu a Jaguaruna, até 1993,neste período, a economia da região era voltada principalmente para a indústria cerâmica. Após esta data, com o desmembramento do distrito, a circulação de capital passou a girar em torno de outras atividades, entre elas, agricultura, pecuária, mineração e o comércio.

Segundo dados da EPAGRI, em 2003, a agricultura da região destacou-se pelo cultivo da mandioca, melancia, arroz irrigado e fumo. A mandioca foi cultivada em 220 propriedades rurais, somando uma área de 1000 hectares que vieram a render 18 toneladas da raiz. A melancia, plantada nos meses de agosto a setembro e colhida de dezembro a janeiro, somou 320 hectares de plantação, que geraram uma quantidade de até 15 toneladas do fruto. O arroz irrigado, cultivado nas planícies próximas de rios e lagoas, ocupou uma área de 4800 hectares de terra, resultando em uma produção de 7,8 toneladas do grão. O fumo, com 100 produtores cultivando 600 hectares de terras resultou em uma produção de 1,7 toneladas da matéria-prima.

Na pecuária, ainda em 2003, de acordo com a Epagri, destacaram-se a bovinocultura, suinocultura e a avicultura. Com a criação de gado leiteiro, 60 propriedades com um rebanho de 2000 cabeças, produziram diariamente 7000 litros de leite. Já para o abate, 590 produtores criaram 7800 cabeças de gado. Na criação de suínos, o maior destaque foi para as matrizes, com 14 propriedades somando 2440 animais. No suíno-terminação (criação desde a matriz até o abate), oito propriedades criaram 16500 animais. A avicultura foi desenvolvida por 21 criadores de frangos para corte que criaram 408000 aves, e ainda dois criadores de frangos para postura comercial, que contabilizaram 106000 aves.

A mineração é outra atividade econômica forte da região. Três empresas trabalham no setor, explorando quartzito, utilizado na produção de esmalte pela indústria cerâmica e conchas calcárias. As conchas são provenientes de concheiros naturais e empregadas tanto na correção do solo, quanto na ração para animais como fonte de cálcio.

Segundo o SEBRAE, estão cadastrados 158 estabelecimentos comerciais, 140 empresas prestadoras de serviços e 27 indústrias, num total de 325 pessoas jurídicas que movimentam a economia do município.

Turismo:

O município apresenta na laje da jagua um valioso potencial para o tow-in, surf rebocado. A formação geológica de pedra está à 5,3 km da costa entre os balneários Arroio Corrente e Campo bom. Quando há tempo favorável e sem vento pode gerar ondas com até 30 pés de altura. Profissionais de ondas grandes como Rodrigo Resende (campeão mundial no Hawaii), Zeca Scheffer, Everaldo “Pato”, João Capilé, Luis Roberto Formiga, Tissot, Romeu Bruno e Danilo Couto já procuraram o lugar para a prática do esporte. É fundamental técnica e planejamento para não haver imprevistos. Para desafiar a força das ondas alem do investimento em equipamentos de segurança como coletes especiais, cabos, capacete e auxilio de resgate há a necessidade de uma licença da ATOW-INJ, Associação Tow-In de Jaguaruna. Como a região pertence ao projeto de preservação da baleia franca a prática não regulamentada pela associação é caracterizada como crime ambiental. Informações ATOW-INJ - (48) 3624-1797

No litoral norte do município, nos balneários Dunas do Sul e Nova Camboriú estão fixados os sete maiores sambaquis. No primeiro balneário estão Laranjal I II e III , Encantada e Garopaba do sul, que é considerado o maior do mundo em extensão. No balneário Nova Camboriú estão os sambaquis da Figueirinha I e II.

Fonte: Prefeitura de Jaguaruna - www.jaguaruna.sc.gov.br

pmj4.jpg (22773 bytes) pmj1.jpg (15708 bytes)

pmj3.jpg (17122 bytes)

pmj2.jpg (19463 bytes)
pmj7.jpg (18008 bytes) pmj5.jpg (13259 bytes)
pmj6.jpg (12397 bytes)

Dados do município

Microregião: Microrregião de Laguna
Secretaria regional: Laguna
Área: 329,459 km²
Data de criação: 11/12/1930
Data de instalação: 20/12/1930
Data de comemoração: 20/12
Lei de criação: 25 - 11.12.1930
Município de origem: Tubarão
Altitude: 12 m
Latitude: 28°36
Longitude: 49°01
População: 16046 habitantes (11538 eleitores)
PIB: 109,38

Dados da prefeitura
Prefeito: Marcos F. dos Santos Tibúrcio
Vice: Francisco Elpídio de Souza
Endereço: R. Duque de Caxias, 290
Bairro: Centro
CEP: 88715-000
Telefone: (48) 3624-0138
Fax: (48) 3624-0138
E-mail:
contato@jaguaruna.sc.gov.br
Website:
http://www.jaguaruna.sc.gov.br 



Bandeira


Brasão